segunda-feira, 27 de junho de 2011

Viagem a Rio Preto da Eva/AM 24/06/11

Manaus / Rio Preto da Eva

Rio Preto da Eva é um municipio do estado do Amazonas que fica localizada a 78 km de distancia da capital amazonense. a cidade é bastante conhecida pelo seu café da manhã regional com suas tapiocas gigantes e com diversos recheios além de possuir diversos balnearios de águas geladas.

Partimos de Manaus as 7:15 pela AM-010, a estrada ta razoável mais tem muita curva e exige muita atenção do motorista. Chegamos em Rio Preto as 8:00 hs e fomos direto para o café regional da Priscila. O ambiente é bem agradavel, pedimos uma tapioca com castanha e queijo e dois X-Caboquinho com queijo, banana e Tucumã.


Cristo e Igreja do Cavaco

Pagamos a conta e seguimos direto para o Mirante Pastor Severo Camara, para conhecer uma replica do Cristo Rendentor, o local é muito bonito tem alguns restaurantes e uma vista aérea da cidade.





Igreja do Cavaco

Tiramos algumas fotos e fomos conhecer a Igreja do Cavaco que fica do outro lado da pista esses dois pontos turísticos são muito fáceis de achar. A igreja é bonita algo bem artesanal e ao seu lado tem umas esculturas.






Comunidade Indígena Beija Flor

Na igreja pedimos informações de como chegar a Comunidade Indígena Beija Flor, as pessoas respondem as suas perguntas com maior atenção.

Chegamos a comunidade muito cedo, pelo que percebi eles não tem costume de receber muitas visitas, perguntamos se tinham artesanato para vender e logo chegou uma moça sem traços indígenas para mostra seus artesanatos logo depois chegou um índio para mostrar os seus artezanatos. Coisas que em Manaus custam R$ 15,00 aqui pagamos R$ 5,00, compramos bastante coisa, conversando com o índio ele me informou que são acostumados a receber estudantes de escolas de Manaus, a comunidade está se adaptando cada vez mais para receber visitantes.





Balneário Paraíso do Manú

Após a visita a comunidade fomos procurar algum balneário para aliviar o calor, decidimos conhecer o Paraíso do Manú que tinham me indicado, seguimos pedindo informações até chegar ao local. O balneário é o ultimo de um estrada cheias de balneário achei bom pois a água passa nele antes de ir para os outros balneários o que significa que á água ali é mais limpa, o local não tem placa e por isso seguimos direto numa estrada de barro e acabamos encontrado um local com uma paisagem muito bonita para tirar fotos.



Pedimos informação novamente e nos informaram que o balneário era o ultimo sem placa, chegamos ao Paraiso do Manú as 10:00 hs, pagamos R$ 10,00 para ficarmos nas barracas próximas ao lago, aproveitamos e pedimos uma banda de tambaqui assado por R$ 40,00 reais para as 12:30. As águas de Rio Preto são super geladas até mais do que em Presidente Figueiredo.




Nesse Balneário tinha um gato que a Silvia ficou brincando por um bom tempo muito engraçado, tomamos banho e seguimos pois queríamos conhecer outro balneário.



Balneário Publico da Cidade

O plano inicial era irmos conhecer o Balneário do Themas Parck que tem um mini park aquático, infelizmente o parque so funciona nos feriados e finais de semanas e como na sexta não era feriado o parck não estava funcionando, seguimos direto para o balneário publico da cidade nossa ultima parada. Estacionamos o carro demos uma volta pelo balneário e como estava muito quente resolvemos tomar banho, ficamos até umas 15:00 hs ainda fomos a feira ver se encontrávamos copaíba, e depois seguimos para Manaus chegando umas 16:00 hs.




Resumo

A cidade tem um bom potencial turístico mais pouco aproveitado, não possui um centro de atendimento ao turista, voltamos mais cedo para Manaus por não conhecermos outras opções, pesquisei na internet e não encontrei informação pois queria muito fazer uma passeio de barco no lago.

Porém as pessoas são muito receptivas, o café da manhã é um dos melhores que já provei na minha vida, sei que existem cachoeiras em Rio Preto, porém não conheci ninguém que soubesse informar como chegar nesses lugares, a cidade é otima para quem quer fugir da capital.
Compartilhar:

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Viagem a Presidente Figueiredo/AM 04 e 05/06/11.

04/06/11 – Manaus / Presidente Figueiredo

Presidente Figueiredo é um município do estado do Amazonas, sua sede esta localizada a 107 km de distancia de Manaus. O município é bastante conhecido pelos seus atrativos naturais como cachoeiras e corredeiras e é carinhosamente apelidado de "terra das cachoeiras", além de possuir  festas regionais bastante conhecidas na região.

Presidente Figueiredo e Corredeira do Urubuí

Partimos da cidade de Manaus/AM as 8:00 hs do dia 04/06/11, para se chegar a cidade pega-se a BR 174, as condições da estrada estão excelente. Chegamos em Presidente Figueiredo as 9:15 hs e fomos direto para o Café Regional da Priscila que fica localizado bem do lado da rodoviária, aconselho a experimentarem o bolo de macaxeira, tapioca e o famoso X-Caboquinho um sanduíche regional feito de pão, banana frita, queijo e tucumã.

Compartilhar:

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Viagem a Maués/AM - Feriado de Pascoa

Manaus / Maués 20/04/11

Nossa viagem começa no dia 20/04/11 véspera de feriado, a passagem para Maués custou R$ 78,00 para dormir em rede, devido ao feriado comprei no sábado dia 16 no próprio porto, porém observei muitas pessoas comprando passagens poucas horas antes de viajar.

Algumas pessoas conseguem comprar a passagem por um valor mais barato, basta pegar uma voadeira (barco local com motor) por uns R$ 3,00 e comprar a passagem diretamente na embarcação, nesse caso o valor vai depender de cada barco, nos viajamos no PP Maués II, perguntamos o valor da passagem e eles disseram que custava R$ 75,00 reais, porém eu conheço o dono do barco Calipso que sai na sexta e ele me informou que o valor da passagem dele custa R$ 50,00 para dormi em rede.

Vou deixar aqui o contato dele se alguém quiser alguma informação: Francisco Amaral 9112-1719.

Outra forma de chegar a Maués é através de Itacoatiara, essa dica encontrei no site do André, http://www.descobrindooamazonas.webs.com/, pega-se um ônibus de manhã na rodoviária de Manaus até Itacoatiara e depois um barco até Maués é bem mais rápido, porem para fazer isso tem que ter o dia inteiro disponível, como so podíamos ir a tarde não usamos essa alternativa.

Partimos de Manaus as 5:45 hs com 45 minutos de atraso, o Barco PP Maués II é bem estruturado possui 4 andares, o primeiro para carga, o segundo e terceiro para passageiros e o últimos como área de lazer muito bom para tirar fotos, o barco também possui banheiros coletivos com chuveiros.

As 7:00 hs já começam a servi a janta que é uma sopa de carne com macarrão em uma sala com mesa cadeiras e ar condicionado para umas 20 pessoas, tivemos que esperar numa fila por uns 15 minutos.

tri”abuto

Depois da janta fomos nos preparar para dormi, antes disso conhecemos um senhor que possui um terreno no caminho para Maués, durante a conversa descobrimos que ele é professo da Universidade Federal do Amazonas UFAM e que já fez muitas pesquisas sobre o guaraná, ele nos explicou muitas coisas principalmente sobre a falta de apoio do governo no cultivo de guaraná e por isso muitas pessoas estão deixando de plantar guaraná para criarem gado que exige uma quantidade de hectares muito maior levando a um desmatamento da floresta, ele falou em números mostrando quantos hectares é preciso para criar 100 gados e quantos hectares é preciso para 1000 mudas de guaraná a diferença era enorme mas eu não lembro dos número, depois da conversa fomos dormi.

Uma dica importante procure chegar cedo no barco e pegar um bom lugar para atar a rede se possível na parte central do barco onde não passa quase ninguém, colocamos as nossas próximo a escada e eu dormi muito mal pois, toda hora batiam na minha rede e eu acordava.

As 3:05 hs da madrugada do dia 21, chegamos a cidade de Itacoatiara para pegar mais alguns passageiros coisa muito rápida uns 10 minutos no maximo, e voltamos a dormi.

Acordamos umas 6 hs e o café da manhã é o mesmo sistema do jantar, é servido bolo de milho, pão, café com leite e ovo cozido.

Após o café guardamos nossas coisas e fomos apreciar a paisagem e vimos como o estado do Amazonas é lindo.








As 13:00 hs chegamos em Maués a terra do guaraná e das belas praias, porém não tinha praia pois, a época das praias é entre setembro e janeiro quando o rio esta mais seco. Em Maués nos ficamos na casa de familiares, porem logo na entrada da cidade a muitos hotéis e restaurantes de todos os tipos caros e baratos sempre com vagas exceto no Festival de Verão em setembro e na festa do Guaraná em novembro, nessas duas situações tem que fazer reservas pois dizem que a cidade fica lotada.


Almoçamos e aproveitamos o dia para conhecermos os parentes da minha namorada ouvimos muitas historias da Selma prima da minha namorada sobre os garimpos que existem próximos a Maués ela conta que antes possuía um barco que levava as pessoas de Maués até o garimpo e que as passagens eram pagas com ouro eles já possuíam uma balança para pesar a grama.

A noite fomos conhecer o lugar que íamos dormir, casa era a do Sr. Geraldo que estava em Manaus, la conhecemos o Sr. Cavalcante e sua mulher a Sr. Maria, o Sr. Cavalcante é um senhor muito inteligente, fez o ensino médio estudando via radio, foi assim ele aprendeu a ler e escrever  e passou na faculdade de Maués so não ficou por causa do sistema de cotas, mas ele disse que não vai desistir, na primeira noite conversamos sobre política e sobre o projeto de construírem uma estrada de Maués até Itaituba no Pará.

22/04/11

Na sexta feira santa a cidade ficou deserta, não tinha ninguém na rua e nenhuma loja estava funcionando, aproveitamos para pegar o carro e conhecer a cidade, a noite ficamos ouvindo historia de lendas e assombrações que o Sr. Cavalcante contava, descobrimos que ele morre de medo de boto, quanto contamos para ele que pretendemos ir a Novo Airão nadar com os botos ele ficou super assustado, fomos dormi umas 12:00 hs ou mais.




23/04/11

Acordamos tomamos café e depois fomos atrás de alguns artesões e encontramos a Gilmara, compramos as coisas com ela pela metade do preço que é vendido nas lojas da cidade, so que ela já tinha pouca coisa, comprei algumas lembranças, outra dica e ir na fundação de artesanato, eles possuem um mostruário com muitas coisas bonitas.

Almoçamos e depois fomos para a praia da Antártica e passamos o dia la, a noite arrumamos nossas coias para viajar no dia seguinte.


24/04/11

Acordamos as 6:00 hs para nos arrumar e tomamos café com o Sr. Cavalcante que ficou muito triste com a nossa partida saímos. As 7:00 hs a pé para irmos a casa da família da minha namorada nos despedir de la saímos as 7:30 de moto direto para a língua da princesa é assim que chamam o local que ficam os barcos as passagens do ajato foram compradas no dia 21/04/11 por R$ 40,00 até Itacoatiara.

Saímos as 8:10 hs com dez minutos de atraso, o ajato possui bebedouro e café grátis, e também vende misto quente e refrigerante além de possuir banheiro.

Após uns 30 minutos que saímos de Maués começou a chover muito, fechamos o vidro do barco, puxamos a cortina e ficamos assistindo TV. A viagens até Itacoatiara durou 4:30 chegamos umas 12:50 hs, no porto já tem os taxistas perguntando se querem ir para Manaus, o taxi até Manaus custa R$ 60,00 por pessoa e ele deixa na porta de casa a viagens entre Itacoatiara e Manaus durou 3 horas pois, pegamos uma forte chuva e uma parte da pista estava muito ruim, além de que depois da Cidade de Rio Preto da Eva tinha muito carro na pista.





Chegamos em casa exatamente as 17:00 hs porém se não fosse a chuva teríamos chegado umas 16:15 hs, se levar em consideração que o expresso chega a Manaus as 18:00 no porto da Manaus Moderna e que você ainda vai ter que pegar uma taxi ou pedir para alguém ter pegar no porto para chegar em casa vale apena gastar R$ 10 amais.

Conclusão

Só aconselho ir a Maués na época das praias, formos nesse período pq tinha vontade de conhecer a cidade e pq tínhamos parentes la.

Porem o que mais me fascinou na cidade foram as pessoas todas muito educadas, aonde chegava-mos perguntavam logo se já  tínhamos almoçado e nos tratavam muito bem, adoro ouvir historias das pessoas, fiquei com uma impressão ótima da cidade e vou voltar em setembro.

Dicas

Acidade possui os bancos: Bradesco, Brasil e Basa todos com caixa eletrônico estão construindo uma Caixa Econômica.

Assim que chegar a cidade se preocupem logo em comprarem as passagem de volta elas são vendidas numa agencia e só perguntar no Baco que eles informam o local.

Alta temporada é entre setembro e janeiro.

A passagem de Baco normal na volta para Manaus é mais barata coisa de uns 50 reais.
De la tem barco direto para Parintins.

Segue abaixo algumas fotos das praias e um link de um relato de uma outra viagem a Maués.

http://aventurasamazonia.blogspot.com.br/2012/01/maues-reveillon.html





Compartilhar:
←  Anterior Inicio

Postagens populares

Tecnologia do Blogger.

Seguidores