domingo, 24 de julho de 2011

Passeio pelo Centro Historico de Manaus - 23/07/11

CENTRO HISTÓRICO DE MANAUS

Acordamos cedo no dia 22/07/11 para conhecer alguns pontos turísticos do centro de Manaus, tomamos café da manhã e seguimos para o centro histórico de Manaus para  o nosso primeiro destino.

MUSEU DO ÍNDIO

O Museu do Índio se localiza no segundo andar de um prédio na Rua Duque de Caxias, 296 - Centro, o valor da entrada é de R$ 5,00 e o horário de funcionamento é de segunda a sexta de 08:00 as 11:30 e 14:00 as 16:30 e nos sábados de 08:30 as 11:30, o museu é dividido em salas com tema especifico como por exemplo sala de rituais, sala de armas, sala de cerâmicas e outras, também dispõe de uma loja que vende objetos indígenas.     

O museu é simples mas muito educativo para quem quer aprender um pouco mais da cultura indígena. 




TEATRO AMAZONAS

Muitas pessoas de Manaus nunca entraram no Teatro Amazonas símbolo da cidade, e com certeza o ponto turístico que mais orgulha os manauaras, o teatro foi inaugurado em 31 de dezembro de 1896 no governo de Eduardo Ribeiro e se localiza no Largo de São Sebastião no centro de Manaus, as visitas acontecem de segunda a sexta de 08:00 as 12:00 e 14:00 as 17:00 e nos sábados de 08:00 as 17:00 pelo valor de R$ 10,00 (inteira) ou 5,00 (estudante).

A visita é ótima e a todo  momento tem atores do Grupo de Teatro Metamorfose interpretando personagens da época como Barões, Baronesas e o Governador Eduardo Ribeiro os personagens vão dando explicações de datas, significado de pinturas e dos tipos de materiais que foram usados na construção, os primeiros locais que visitamos são o salão de espetáculos e os camarotes.      

Me desculpem pelas fotos pois dentro do teatro não podemos tirar fotos com flash e nossa maquina não é uma das melhores.




Depois fomos guiados a um lugar exclusivo do teatro onde temos que utilizar pantufas nos pés para poder caminhar nesse local que é chamado de Salão Nobre do Teatro, outro local muito lindo.     



IGREJA DE SÃO SEBASTIÃO E MONUMENTO ABERTURA DOS PORTOS

Após a visita do teatro fomos tirar fotos da Igreja e do Monumento que também ficam no Largo de São Sebastião.   




PALACETE PROVINCIAL

Do Largo de São Sebastião seguimos a pé para o Palacete Provincial que se localiza na Praça Heliodoro Balbi, s/n - Centro, o Palacete possui vários museus entre eles estão os Museus de antes e depois da reforma do Palacete, Museu de Numismática, Museu de Arqueologia, Museu de Maquinas Fotográficas, Museu de Armas  entre outros e tudo isso com entrada franca, isso mesmo não paga nada para visitar todas essas exposições, infelizmente é proibido tirar fotos dentro das salas de exposições, só é permitido tirar fotos nos corredores. 



Apos a visita ao Palacete descansamos um pouco na Praça Heliodoro Balbi e seguimos a pé para a Praça Terreiro Aranha para ver artesanatos e almoçamos.



A praça possui varias barracas que vedem artesanatos locais como mascaras indígenas, desenhos em remos, piranhas empalhadas e outros.



MUSEU CASA EDUARDO RIBEIRO       

Logo após o almoço na Praça Terreiro Aranha seguimos a pé para o Museu Casa Eduardo Ribeiro que fica na Rua José Clemente, 322 – Centro e a entrada é franca, o museu obviamente conta a historia e mostra objetos pessoais de um dos principais governadores do estado do Amazonas.

Eduador Ribeiro é natural do Maranhão e foi o primeiro governador negro do estado do Amazonas, era conhecido pelo apelido de pensador, em decorrência de ter participado ativamente dos movimentos republicanos e ter editado o jornal O Pensador no Maranhão, e entre suas principais obras como Governador estão a retomada da construção do Teatro Amazonas, o Reservatório do Mocó, a Ponte de Ferro da 7 de Setembro, o Palácio de Justiça e inúmeras outras obras, transformando Manaus na conhecida Paris dos Trópicos.  






Para fecharmos o dia pegamos o carro e fomos para uma sorveteria, pois o dia estava muito quente. 


Resumo 

Escuto muitas pessoas falarem que Manaus não tem o que conhecer ou nada para fazer, nosso objetivo é mostra que a muito o que conhecer em nossa cidade e por um custo muito baixo, infelizmente muitos prédios históricos não são abertos para visitações ao publico nos finais de semana como por exemplo o Teatro Chaminé, Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Palácio Rio Branco e tristemente outros estão desativados como o Museu do Porto de Manaus que não tem previsão de voltar a funcionar.

Ou seja somente no centro de Manaus existem lugares para conhecer em pelo mesmos dois dias e que nos mesmo de Manaus não prestigiamos, alem do centro histórico existem vários outros lugares como praias, restaurantes, parques e muitos outros lugares.

O povo que não conhece a sua historia está condenado a repeti-la.

Abraços a todos. 

Compartilhar:

terça-feira, 12 de julho de 2011

Viagem a Porto Velho/RO 08, 09 e 10/07/11

No dia 03/07/11 a Gol fez uma promoção de passagens para vários trechos do Brasil. Pesquisamos destinos em que a passagem tivesse um valor baixo e chegamos a duas opções, Porto Velho em Rondônia e Boa Vista em Roraima, decidimos ir para Porto velho pois, eu já conhecia Boa Vista e queria conhecer uma nova capital da Amazônia Brasileira, compramos a passagem a R$ 69,00 ida e R$ 69,00 volta.

No dia 05/07/11 quando estava pesquisando por algum hotel bom e barato minha mãe perguntou para onde eu iria, quando respondi ela falou, "não precisa de hotel pois eu tenho duas primas que moram em Porto Velho/AM e tu pode ficar na casa delas", aquela noticia foi um alivio pois já tinha ligado para alguns hotéis e os preços estavam muito caros.

08/07/11

Partimos de Manaus/AM as 20:20 hs conforme o previsto, e chegamos em Porto Velho/RO as 21:45 hs, meus primos foram nos pegar no aeroporto e nos levaram direto para o restaurante Mirante III a beira do Rio Madeira onde já estava o restante da família, nos apresentamos e foi aquela festa.

Saímos do restaurante e fomos direto para a casa da prima da minha mãe. Ficamos conversando e respondendo a perguntas que fizeram sobre os familiares que estão em Manaus e fomos dormi as 01:00 hs do dia 09/07/11.

09/07/11

No dia seguinte acordamos cedo e saímos com meu primo Peterson para conhecer alguns lugares da cidade. Fomos conhecer o Complexo Rodoviário Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, fizemos uma visita rápida pois, esqueci a maquina fotográfica e decidimos voltar mais tarde. Fomos ver a construção da usina de Santo Antonio, ficamos impressionados com o tamanho da usina.

Alias muitas historias que ouvimos estão relacionadas a construção das usinas de Santo Antônio e Jirau, principalmente sobre a recente revolta em uma delas que teve repercussão nacional, disseram que muita coisa aconteceu na cidade.

Voltamos para a casa da Nilda colocamos a maquina para carregar e saímos a pé para conhecer o centro comercial, outra coisa que gostei em Porto Velho é que as ruas são muito largas e que no centro não tem camelos nas calçadas. A prefeitura criou um shopping popular e remanejou todos os camelos, assim, da para andar tranqüilo pelo centro ao contrario de Manaus que andamos esbarrando nas pessoas alem de deixar um aspecto feio na cidade. Andamos por toda a rua Sete de setembro até chegar ao Mercado Cultural pois, estávamos a procura de artesanato. Encontramos uma única loja que vendia artesanato mas tudo muito caro.

Seguimos andando até chegar ao Mercado Central onde encontramos uma única loja com preços bem acessíveis e compramos algumas coisas.


Almoçarmos e o Lucio marido da Nilda nos chamou para sair de carro para conhecemos mais a cidade, ele foi nos mostrando vários lugares os bairros nobres, a calçada da fama de dia e os viadutos incompletos que apareceram no Fantásticos e que após a reportagem voltaram as obras, depois de fazemos esse city tur, ele nos convidou a tomar um açaí na lanchonete Açaí Força Total, eu pedi um açaí cremoso com creme de leite e granola, R$ 10,00 a tigela que vale por um almoço, conversamos bastante sobre a cidade e como ele veio morar la pois o Lucio e a Nilda são de Manaus, após a conversa voltamos para casa, tomamos um banho assistimos ao final do jogo vergonhoso da seleção brasileira e saímos com o Robert marido da Marcia.

Pegamos carona com um amigo do Robert que nos deixou no Complexo Rodoviário Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, o complexo tem duas ferrovias, alguns vagões, museu e uma orla de frente para o Rio Madeira, um local muito bonito pena que o museu não funcione nos fins de semana, tiramos muitas fotos pois tudo era novo para nós que nunca tínhamos visto uma ferrovia.




Seguimos para a Praça da Três Caixas D’água, incrível a preservação da praça que é muito bonita tiramos algumas fotos e seguimos para outra praça tudo a pé pois as praças ficam próximas uma das outras, uma coisa engraçada é que o nosso guia é de Manaus e mora a dois anos em Porto Velho e ele tava conhecendo a cidade junto com agente, o engrado de tudo é que quando perguntávamos algo para ele respondia ‘Rapaz, eu não sei não”, nos riamos muito.



Das Três Caixas D’água ou Três Maria, seguimos para outra praça para conhecer alguns prédios históricos como a da Universidade Federal de Rondônia e Palácio Presidente Getulio Vargas que achamos ser sede do governo pois nosso guia deu a mesma resposta, ‘Rapaz, eu não sei não”. Também tiramos fotos do Mercado Cultural que fica na mesma praça, alias nessa hora já estava anoitecendo e o mercado cultural a noite é bem diferente tem muitas mesas e uma roda de samba de gafieira um lugar que parecia ser bacana, pegamos um táxi e voltamos para casa para descansar um pouco pois íamos sair mais tarde para jantarmos.






As 07:30 hs saímos eu a Silvia, minha prima Marcia e o Robert para a praça Aluisio Ferreira, a praça tem muitos lugares ótimos. Pedimos a comida e conversamos e demos bastante risadas, depois de satisfeitos pegamos um táxi e voltamos para a casa da Nilda.


O pessoal já estavam nos esperando para sairmos novamente dessa vez eu, a Silvia, a Nilda, o Lucio e a filha do Perteson a Lucia.

Seguimos para o complexo da Flor do Maracujá, um local onde tem apresentação de danças típicas, parque de diversões, e comidas típicas de festa junina, o local estava lotado e por isso não conseguimos ir em nenhum brinquedo, assistimos a apresentação do Boi Diamante Negro que durou um pouco mais de uma hora, depois seguimos para casa pois, já eram 01:00 hs do dia 10/07/11.




10/07/11

Acordamos as 11:00 hs muito tarde pois, estávamos muito cansado do dia anterior, tomamos café e conversamos bastante com a Nilda enquanto esperávamos o Lucio que tinha ido resolver um problema de Trabalho, quando ele chegou saímos as 13:00 hs para almoçamos uma galinha cabidela.

Do restaurante seguimos para a estrada que liga Porto Velho até Rio Branco no Acre andamos por uns 30 Km até chegar a um balneário muito bom, ficamos pouco tempo coisa de uma hora.


Nosso vôo sairia as 18:00 hs, voltamos para casa arrumamos nossas coisas, tomamos banho nos despedimos dos amigos e fomos para o aeroporto pegar o vôo para nossa cidade sobrevoando o Rio Madeira.



Resumo

No geral deu para perceber que Porto velho está crescendo muito e de uma forma muito rápida, vários prédios estão sendo erguidos e quando saímos com meu primo Peterson de manhã para ver a usina vimos durante o caminho muitos condomínios sendo construído, para todo lugar que vamos na cidade existe uma construção tudo conseqüência das Usinas, gostei muito das ruas largas e do centro em que podemos andar pelas causadas.

Porem o que mais me agradou na cidade foram as pessoas, agradeço a minha prima Marcia e a seu marido Robert e a familia da Nilda e do Mario, a todos que nos receberam e nos fizeram nos sentir em casa, saudes e que Deus de saúde e sucesso a todos, abraços.
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

Postagens populares

Tecnologia do Blogger.

Seguidores